< Voltar para notícias

Rally da Pecuária 2019 registra recordes de produtividade

Pecuaristas visitados pela expedição apresentaram produtividade média de 12,81 arrobas, três vezes superior à média nacional

A 9ª edição do Rally da Pecuária, expedição privada organizada pelas consultorias Agroconsult e Athenagro, apontou uma produtividade média de 12,81 arrobas por hectare. Isso representa um aumento de 25% em relação ao registrado em 2018, que foi de 10,3 arrobas por hectare/ano, e três vezes a produtividade média nacional, de 4,26 arrobas. O índice é medido em um ciclo completo, em propriedades que trabalham com cria, recria e engorda de gado bovino.

“Se o Brasil atingir a produtividade média do rally [12,8 arrobas] , o consumo mundial poderia chegar a 11,8 quilos”, diz Maurício Palma Nogueira

As equipes percorreram 47,9 mil quilômetros em 10 estados, entre 1º de julho e 7 de setembro. Uma constatação relevante foi a diminuição do uso do confinamento. “Em 2018, 65% dos animais tinham passado por confinamento. Este ano, só 44%”, diz Maurício Palma Nogueira, diretor da Athenagro e coordenador do rally. Segundo ele, produtividade maior e confinamento menor indicam melhora nas pastagens e na nutrição.

O percentual de pecuaristas com produtividade acima de 18 arrobas por hectare/ano subiu para 21% este ano. Eles respondem por 53% do total de vendas e têm fazendas com área média de 620 hectares. Aqueles com uma produtividade abaixo de 12 arrobas têm propriedades de, em média, 2.400 hectares.

O Brasil é o maior exportador do produto, mesmo embarcando apenas 20% do que produz. Os dados do rally mostram que é possível aumentar a produtividade sem incremento de área. “O consumo per capita de carne no mundo é de 9 quilos por habitante ao ano. Se o Brasil atingir a produtividade média do rally, esse consumo poderia chegar a 11,8 quilos”, diz Nogueira.

Fonte: Caderno Agro - O Estado de S. Paulo, 25 de setembro de 2019

Nota da Athenagro: Na edição de 2019, a quantidade de animais terminados em confinamento entre os entrevistados recuou de 65% (2018) para os atuais 44%. Ainda assim, nesse grupo, foi registrado um aumento de 15% na quantidade de animais confinados entre 2018 e 2019.

 
Fonte da Notícia
Caderno Agro - O Estado de S. Paulo, com comentário da Athenagro