< Voltar para notícias

Tecnologia e preço podem elevar rebanho confinado em 8,6%

Incentivados pela perspectiva positiva de preços e pela necessidade de elevar o nível tecnológico, os pecuaristas brasileiros devem terminar 2015 com cinco milhões de cabeças em confinamento – ou seja, 400 mil a mais que no ano passado. Essa previsão equivale a um crescimento de 8,6%, segundo a consultoria Agroconsult.

Os dados foram expostos na apresentação do Rally da Pecuária, viagem de levantamento técnico realizada em regiões produtoras de bovinos do Brasil, que será iniciada neste domingo.

Organizadoras da expedição, a Agroconsult e a Sociedade Rural Brasileira (SRB) adiantaram informações do Rally. Trata-se da próxima “fotografia” da bovinocultura brasileira, conforme definiu Stefan Mihailov, diretor de um dos patrocinadores, a Phibro.

Segundo Maurício Nogueira, da Agroconsult, há também a expectativa de “confirmar uma tendência que vem sendo verificada ano a ano: o aumento do processo de tecnificação”. A pecuária, de acordo com Nogueira, está começando a ter a feição da agricultura. “A agricultura não admite baixa tecnologia, e a pecuária começa a não admitir também.”

A expedição passará por 11 Estados (PR, MS, MT, SP, MG, GO, TO, PA, RO e, neste ano, RS e AC) e colherá dados para avaliar a intenção de confinamento, as condições das pastagens e a oferta de animais de reposição e de gado para abate. Segundo os organizadores, as áreas visitadas representam mais de 83% do rebanho nacional e 90% da produção cárnea.

Por Thaís Ito – Revista Nacional da Carne

Fonte da Notícia
Revista Nacional da Carne